domingo, 6 de novembro de 2011

Texto

Quando eu não estou bem, eu escrevo e choro. Ou choro e escrevo. A ordem varia. Mas ela nem importa, na verdade, nada importa. Ou melhor, nada deveria importar.
Eu amei, sofri, chorei, e continuo amando. Isso é impossível! Meu cérebro e meu coração nunca fazem as pazes, o que um quer, o outro faz questão de arranjar intriga e não querer.
Eu acreditei em amizade. Porém isso é tão raro quanto água no deserto, mas as pessoas não veem isso. 
Eu tive fé, esperança; e de nada adiantou. Eu me pergunto agora, a vida vale mesmo a pena?
Eu sonho, e o mundo diz para eu não o fazer. Eu desejo, e o mundo não permite que eu tenha o que quero. Eu choro e nunca tem alguém pra me abraçar e secar minhas lágrimas. Eu preciso de motivos, apenas alguns para que eu continue aqui, sofrendo, me machucando, nesse mundo indecifrável.
Odeio esse tipo de solidão que não é opcional. Odeio coisas volúveis, falsas. Odeio amor não correspondido. Odeio, odeio.
Estou tão confusa que meus pensamentos não têm lógica, são apenas informações mal organizadas, jogadas aleatoriamente. Eu não ligo, não escrevo propriamente pra alguém, escrevo pra me libertar.


@sahbellatrix

Nenhum comentário: