terça-feira, 18 de setembro de 2012

O que você faria se não tivesse medo?

"Se eu não tivesse medo, eu...
Fugiria de casa, arrumaria a mala, iria pra praia, curtiria o dia, seria feliz, arrumaria um amor pra toda a vida (você), faria amor, iria contra a lei, roubaria um banco, daria o dinheiro aos pobres, faria uma tatuagem e teria um coração. Eu deixaria de estudar por uns dois anos depois do colegial, faria mochilão pelo mundo, iria a lugares sem turistas e belos de vista, seria eu mesma, nadaria nua, cantaria aquela sua canção preferida, me embebedaria, comeria pizza todos os dias e, principalmente, seria totalmente sua.
Se você não tivesse tirado os meus medos, eu...
Não faria nada do que escrevi ali em cima, não me entregaria pra você como me entreguei, não seria de corpo e alma sua, não contaria os segundos pra te ver, não procuraria em você a minha segurança e coragem, eu simplesmente não viveria. Eu não vivo sem você."

O pior defeito do ser humano é sentir todos os sentimentos do mundo. Sentir alegria, felicidade, amor, bondade... Essas coisas são boas de sentir. No entanto, sentir raiva, ódio, nojo, tristeza, solidão, não é tão bom assim. Na verdade, é péssimo. Apenas acarreta outros sentimentos indesejáveis, como a angustia. Mas e o medo? Não seria ele o pior sentimento de todos?
O medo nos impede de tentar, de lutar, de ser diferente, de nos destacarmos e nos arriscarmos. Esse maldito sentimento nos faz ser menos nós mesmos e, de certa forma, nos faz sofrer, pois muitas vezes deixamos de fazer algo por causa dele. Nos reprime. Os tipos de medo, em si, não importam tanto... Há o medo da incompreensão, o medo das consequências, o medo da dor, o medo da angustia. Milhares e milhares de tipos.
Você que tem medo de altura... Já parou pra se perguntar o porquê de nunca ter ido em uma montanha russa? Provavelmente a resposta seria: "é porque eu tenho medo de altura". Mas, excluindo essa resposta, qual o real motivo? Medo de cair também não vale... Isso é medo de se arriscar. As pessoas se esquecem quão boa é a sensação de fazer algo novo, de se arriscar, de "enfrentar" um medo e por isso não lutam contra eles. Elas se acomodam no estado de aceitação desse sentimento.
Quantas pessoas deixam de fazer o que sempre quiseram por medo do que as pessoas vão falar ou achar, ou por medo das consequências que viriam com a decisão. Mas se você quer, porquê não?
O que é errado e o que é certo? E porquê a sociedade têm que decidir essas coisas por mim e por você? Injusto. Se me faz feliz, deveria ser certo. Considerando que as pessoas são, na grande parte, reprimidas e "certinhas" de vista, eu prefiro ser livre e "erradinha" de vista. Definitivamente, sou free spirit.
As coisas que eu preciso pra viver é um amor e liberdade, depois disso eu construo o resto. Construo meu destino, minhas alegrias, me reconstruo depois das tristezas e vou seguindo, vivendo, me arriscando todos os dias em busca de surpresas, porque eu não quero viver um dia igual ao outro.
Se todos fossem assim, se ninguém tivesse medo, não sei se seria a melhor coisa, pois o mal está por aí nas pessoas e, mesmo que muitas coisas boas sobre essas sejam reprimidas por causa do medo, o mal também é, ao mesmo tempo. Por outro lado, se víssemos apenas o lado bom, as pessoas se respeitariam mais e seriam mais felizes. Talvez as depressões fossem extintas. Medo e depressão praticamente andam de mãos dadas... Porém, somos humanos, sentimos tudo, tudo bom e ruim, e talvez não possamos e não saibamos como mudar isso por um longo tempo. Talvez nunca saberemos.

@sahbellatrix

Nenhum comentário: