quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Old text found



Faz tempo que não escrevo. Faz a mesma quantidade de tempo que não ponho meus sentimentos para fora. Estive indiferente durante esses meses, escondendo, lutando no meu interior, dizendo que está tudo bem, que não é nada demais. Porém, estou com medo, de novo. É o que eu mais sinto: medo. Na verdade, estou apavorada, com medo de que comece tudo outra vez e agora eu estou realmente sozinha. Ridículo como o mundo dá voltas e para sempre no mesmo lugar.
Minha mente, imaginação e coração estão querendo sonhar de novo, mas minha alma nem se permite sorrir de verdade… Eu sinto um grande bloqueio em mim. É ruim, dolorido e triste.
Chorei esses dias, mais do que o normal, passei o dia inteiro chorando, querendo morrer. Não muito diferente da situação do ano passado. Quando comecei a escrever nesse blog, eu apenas tinha um coração bobo partido. Agora eu estou inteira partida, e ainda escrevo, e ainda choro escrevendo e depois, ainda, choro lendo.
Porque a vida não é como um sonho bom? Tem que ser necessariamente esse pesadelo? Estou sofrendo tanto… Todos os dias, ao acordar, é uma luta diferente dentro de mim. E quem liga? As pessoas vêem um sorriso e acham que está tudo bem, que tudo passou, como a razão delas dizia que passaria. MAS NÃO PASSOU! Ainda está aqui! Ainda dói! E cada vez mais. E eu me sinto sozinha, triste.
Luto pra comer, luto pra não provocar nada em mim mesma, luto pra me olhar no espelho, luto pra conseguir me concentrar e estudar, luto pra conseguir sorrir, pra criar um quadro por fora de mim, justamente pra mostrar o que eles querem ver.
Porque uma pessoa não suporta ver a outra sofrendo, ela esnoba, ignora, passa por cima, afinal "não é com ela mesmo"… Pimenta nos olhos dos outros é refresco. E no coração dos outros? Na alma? Continua sendo refresco?
Me esforço tanto pra ajudar aqueles que precisam de mim, me disponho sempre que necessitam e quem está por mim? Como se eu estivesse curada, como se estivesse tudo normal! Aliás, o que é normal? Chorar toda noite é normal? Chorar se olhando no espelho é normal? Chorar por não ter ninguém é normal? Talvez até seja. Mas dói.
Comecei a lutar ano passado, fui me autossustentando até agora, mas eu estou sentindo meus pés afundando e eu sinto que tenho duas opções: ou afundar, ou cair. E ninguém vai me ajudar a levantar, aliás eu não queria alguém que me segurasse, queria alguém que me ajudasse apenas a levantar. Porque quedas são necessárias para aprender o que é viver, quedas são necessárias porque a dor "passa". Mas a minha passa e depois volta e eu continuo parada, no mesmo lugar de sempre, chorando rios, sorrindo por fora e solitária. Como sempre foi. Até agora.

Nenhum comentário: