domingo, 5 de outubro de 2014

Sobre política

Do grego "politikós", que significa "aquilo que é público", a política é um dos assuntos mais evitado e menos conhecido da população brasileira atualmente. Isso é, de fato, um paradoxo numa sociedade que já passou por duas ditaduras, inúmeros governos mal sucedidos e muita corrupção. Chega a ser um vexame, já que houveram tantos movimentos historicamente recentes no país lutando pelo fim da corrupção, do aumento de impostos, pela falta de terras pra todos e, inclusive, por um impeachment. Quem não se lembra das "Diretas Já!" e "Fora Collor"?
A sociedade adormeceu, as pessoas não seguram mais nenhuma bandeira, votam por votar, não se interessam pelos partidos existentes e no fim, reclamam todos os dias do governo. Frase mais sábia nas redes sociais durante as eleições deste ano: "Não é o político que vira ladrão, é o ladrão que vira político".
É triste que as pessoas não aprendam com os erros, insistem em trocar o sujo pelo mal lavado. O pior é que pessoas que procuram saber o que é melhor pro país, leem as propostas de cada candidato e se identificam com um que não é o popular são taxadas como "maconheiros", "gays", "drogados". Há uma inversão de valores e pensamento nesse país que não tem número suficiente de caracteres pra descrever.
Votei pela primeira vez este ano e sei que votei com consciência, porque jogar voto fora é votar em branco, nulo e "no que tá ganhando". Votei e votaria de novo no mesmo(a) candidato(a), mesmo sabendo que a massa ignorante não vota nele(a). Triste definir direita como "partido dos ricos" e esquerda como "partido dos corruptos". A política no Brasil é triste porque se faz por "favores" feitos ao povo que, na verdade, são mais do que a obrigação daqueles que foram eleitos! É triste saber que a população realmente acredita que o país vai mudar ao votar em candidatos que só faltam tatuar "I s2 corrupção" na testa.
Falta muita educação pro povo, falta saúde, falta transporte, falta segurança e falta cérebro. Ah, alienação, como faz-se presente nesses dias de eleição. O Brasil está perdido com a mídia que tem, os políticos que têm, os pensamentos que têm.
No Brasil, ultimamente, até o sol tem nascido triste, pois espera-se sempre a chuva. O que tem de alegre nesse país? A esperança de jovens mais conscientes que são, em média, 1,6% dos votos atuais.

Nenhum comentário: