domingo, 22 de novembro de 2015

I'm giving up on you

Eu espero que ela esteja fazendo valer a pena, já que eu não o estava mais. Eu espero que ela seja loira, baixinha e tenha coxas mais grossas que as minhas. Eu espero que ela saiba cozinhar sem queimar a comida e espero que ela seja mais bem humorada. Eu espero que ela seja santa na rua e puta na cama. Eu espero que ela seja tudo o que você sempre quis.
Eu espero que ela tenha olhos claros e não use óculos. Eu espero que ela vá na academia com você e saiba fazer todos os exercícios sozinha. Eu espero que ela tenha o mesmo estilo de vida que você. Eu espero que ela goste de batata doce e de pipoca.
Eu espero que ela sorria mais do que eu, espero que ela saiba entender uma brincadeira e saiba separar as coisas. Eu espero que ela não seja ciumenta, que ela saia sem você e você sem ela e ninguém se importe. Eu espero que ela esteja mais perto de você do que eu um dia já pude estar.
Eu espero que ela use um perfume que você goste mais do que o meu e eu espero que ela tenha uma coleção de lingeries que te deixam com tesão mais do que eu tinha. Eu espero que ela te compreenda mais do que eu compreendia, que ela te apoie mais e seja mais inteligente. Eu espero que ela esteja sempre com você.
Eu espero que ela tenha cabelo comprido, que seja liso e que você se perca nele mais do que se perdia nos meus. Eu espero que ela saiba te conquistar todos os dias, que ela saiba aonde você gosta de ser beijado e como gosta de ser abraçado. Eu espero que ela te envolva de um jeito que eu nunca consegui fazer você se envolver.
Eu espero que ela ame andar de moto e saiba dirigir. Eu espero que ela more sozinha e não precise dar explicações pra ninguém. Eu espero que ela tenha dinheiro pra vocês saírem sempre. Eu espero que ela goste de jogar contigo no computador e que ela entenda seus jogos, eu espero que ela seja boa neles. Eu espero que ela consiga te fazer companhia pra tomar uma cerveja sem ficar bêbada depois do primeiro copo.
Eu espero que ela goste mais de morango do que de chocolate e que ela ame sorvete. Eu espero que com ela valha a pena ir ao cinema, que com ela valha a pena passar sábado a noite em casa.
Espero que ela seja boa de cama e que faça você pensar que está no paraíso. Espero que ela seja bem mais gostosa do que eu, pra você. Espero que ela saiba todas as posições que você gosta e que as faça melhor do que qualquer outra já fez. Espero que ela saiba te seduzir e fazer você ter certeza que fez a melhor escolha.
Eu espero que ela não brigue nunca com você e que vocês sejam felizes. Eu espero que a vida seja mais colorida com ela. Eu espero que mil quilômetros sejam pouco se comparado ao que vocês sentem um pelo outro.
Eu espero que ela saiba todos os músculos, ossos e ligamentos de prontidão. Eu espero que ela também queira fazer cirurgia e que seja muito dedicada. Eu espero que ambos tenham muito sucesso.
Eu espero que ela confie em você de olhos fechados e que te espere com um sorriso e braços pra te envolver depois de cada plantão. Espero que nos braços dela você possa descansar.
Espero que com ela você faça o impossível para casar logo e que os filhos de vocês sejam lindos e que ela deixe você colocar o nome de uma de Isabela. Espero que com ela valha a pena lutar.
Espero que ela saiba sua cor favorita, suas músicas favoritas e suas comidas favoritas. Espero que ela saiba tudo sobre você. Que ela saiba o quanto você ama café e que ela saiba fazer o melhor de todos pra você.
Espero que com ela dê certo. Que ela saiba cultivar o amor e que ela saiba cuidar de você.
E acima de tudo, eu espero esquecer você e espero que você me esqueça também. Eu espero que você não compare o meu beijo ao dela porque eu espero que o dela seja melhor. Eu espero que você não compare o meu olhar ao dela porque eu espero que o dela seja mil vezes mais intenso. Eu espero que você não compare o meu corpo ao dela, porque eu sinceramente espero que o dela seja mil vezes mais bonito. Eu espero que você nunca pense em mim quando estiver transando com ela, porque eu espero que o sexo de vocês seja único e inesquecível.
E eu espero me recuperar. E espero mais: espero encontrar alguém que substitua você. Porque eu sempre gostei de loiro, de olhos claros, de pele transparente, de sorrisos sinceros, de mãos grandes, de corações maiores ainda... Eu sempre gostei do sabor do seu beijo e do jeito que você segurava a minha cintura. E eu vou continuar comparando todos a você até ter a sorte de encontrar alguém como a mulher que você encontrou: que seja melhor do que você em tudo e que por ele valha a pena.
Eu espero substituir seu rosto por o de outro alguém nos meus planos. Que eu substitua a sua companhia na minha formatura, na minha cama, no meu casamento e em todo o resto da minha vida por outro alguém. E eu espero que ele não ligue que eu não saiba todos os músculos, aponeuroses, tendões e ossos de cor. E eu espero que ele goste dos meus óculos e que ele tenha a delicadeza de tirá-los só pra dizer que a cor castanha dos meus olhos é mais intensa do que muito azul e verde por aí. E eu espero que o marrom com uma única mecha dourada do meu cabelo seja o suficiente pra ele se perder e se encontrar ao me abraçar.
Eu espero que pra alguém eu seja suficiente, boa o suficiente, companheira o suficiente. Eu espero que eu encontre alguém que goste do meu ciúmes e que se sinta especial por eu senti-lo. Eu espero que eu encontre quem vai estar comigo nos campeonatos esportivos porque quer que eu esteja lá com ele. E eu espero que ele esteja acordado quando eu voltar dos plantões só pra me envolver nos seus braços e que estes sejam mais confortáveis do que os seus um dia foram.
Eu espero que ele me faça esquecer que um dia você existiu. E eu espero que, ao passar por você na rua, no hospital ou num congresso, você me reconheça pelos mesmos cabelos castanhos e óculos fundo de garrafa, pelo andar cuidadoso pra não cair e pelo jaleco com meu nome bordado depois de "Dra."; e eu espero que eu não reconheça mais você, porque preferirei outros olhos verdes, outros sorrisos e outro coração.

domingo, 15 de novembro de 2015

Necrose amorosa

"Em minhas mãos agora tá cada parte dessa nossa história e eu não sei se eu rasgo ou jogo fora... E o que é que eu faço agora?"

E porque, mesmo depois de tudo, eu continuo sentindo sua falta? Apesar das mágoas, eu continuo topando contigo nas fotos e continuo chorando. E a cada foto você abre uma nova ferida no meu coração com o bisturi dado pela vida à ti, frase esta com muita ironia visto que sua intenção sempre foi ser cirurgião cardíaco.
Comecei a perceber que a vida cruzou nossos caminhos de um jeito irritante... Nossas futuras profissões nos fizeram amantes e, agora, colegas, e por mais que eu queira esquecer ou jogar fora as nossas lembranças, você está sempre ali para retomá-las. Elas estão todas estampadas na sua cara lavada de quem é feliz sem mim.
Quão errada eu fui em montar minha vida, minhas experiências, sobre alguém que facilmente desistiu de mim? De nada posso lembrar agora, pois você está ali. Fico, em vão, tentando construir novas histórias para esquecer aquelas do início. Quero tanto escrever nas folhas da minha vida que de repente ficaram em branco que tudo acaba sendo rabiscos.
Eu já estou ficando cansada de fingir pra mim e pra todos que estou bem e depois perceber que não estou, e ficar subindo a montanha pra depois escorregar até o ponto inicial e ter que começar tudo de novo. Eu tô cansada das tentativas em vão de te esquecer e também das tentativas de trazê-lo pra perto de mim. Ambas dão errado, extremamente errado.
O ano está no fim, nosso relacionamento chegou ao fim, e a minha vida está apenas começando. Tudo tão irônico, indiferente, triste. Tudo cinza.
Perdê-lo foi azul como se eu nunca tivesse conhecido, sentir a sua falta foi cinza escuro, totalmente solitário... Esquecê-lo foi como tentar saber sobre alguém que você nunca conheceu. Mas te amar, foi vermelho.
Ouvir a sua voz é tão incomum agora, algo que eu nem poderia imaginar como era. Desvinculá-lo de cada livro que pego na biblioteca é quase impossível... Como esquecer alguém que te ensinou tantos locais anatômicos, tantas moléculas de bioquímica, tantos processos fisiológicos? Como separar você, eu e a medicina?
Ou some ou soma deveria ser o lema da minha vida agora, no entanto você sabe bem que eu não sou 8 ou 80, não sou morna... Daí fico nessa oscilação maldita que faz meu cérebro trocar a imunologia por você, pelos seus olhos, pelo sabor do seu beijo... Quero ser imune a você. Porque não existe um processo inflamatório quando temos o coração partido? Porque os neutrófilos, monócitos e mastócitos não podem fagocitar lembranças e resquícios de sentimentos não correspondidos?
Nem sempre o corpo é perfeito. Pra coração partido não existe resposta primária e secundária, só existe a dor. O rubor é no começo, quando a correspondência existe e a intimidade é pouca. O turgor e o calor são durante a bonança de um relacionamento feliz, existem durante os beijos apaixonados e o aconchego do abraço. E a dor é agora. Citocina infeliz é essa tal de "amor". Decidiria agora não mais me apaixonar se eu mandasse nisso tudo, mas são todos processos involuntários.

sábado, 10 de outubro de 2015

Transição



Agora, todas as músicas que escutávamos ultimamente fazem todo o sentido. Aquela que você estava gostando tanto da última vez que nos vimos eu dedico à você. Não sei se vai se arrepender, mas a certeza é que eu não vou mais querer você.
Eu não sou mais vítima, eu estou sendo ativa na minha história. Eu escolho quem fica e quem vai, e eu estou deixando você ir. O seu nome não foi riscado, mas a tinta está sumindo. Todos os dias penso se valeu a pena - você disse que não valia mais - e talvez não tivesse valendo mesmo. Sou melhor sem você. Estou melhor sem você.
As borboletas estão de volta ao meu jardim e há muito não me causavam um sorriso tão sincero. Quando eu parei de olhar para o céu e agradecer? Quando eu parei de ver quão honrada sou? Graças a você, olhava apenas para as nuvens e não via que a chuva trazia arco-íris e flores.
Abrir mão das coisas é tão difícil... Mas quem consegue, sempre acaba mais feliz. Eu estou abrindo mão de ti, do meu sofrimento, este causado por você.
Queria te lembrar que foi você a soltar primeiro a minha mão. Eu solto agora a sua. E não adianta você tentar agora me impedir de partir. Dói sim, parece ser impossível, pode ser que mais tarde eu me arrependa - como você disse olhando nos meus olhos naquele sábado - porém eu faço questão de partir como você partiu. Faço questão de tirar você do meu coração.
Eu quero alguém que tenha consciência dos seus atos, que tenha a delicadeza de ser sincero e ao mesmo tempo não jogar tudo no chão. Eu quero alguém que me entenda - pois você já não o fazia mais -, e que possa olhar no fundo dos meus olhos e se reconheça ao meu lado.
No mais, eu ainda te amo, mas o amor não vale mais a pena. Minha felicidade não está mais em estar ao seu lado. A minha felicidade está na vida que levo, nos amigos que tenho, nos amores que encontro.
Sinto lhe informar, mas a culpa é sua, sempre foi. Eu não quero mais ouvir sua voz, não quero mais ler suas mensagens. Eu prefiro acreditar que você foi só um sonho bom que, perto da hora de acordar, virou um pesadelo e depois desapareceu. Eu não sou fantoche de ninguém, muito menos seu, e não será você quem vai brincar com os meus sentimentos.

" 'Cause I'm not your princess, t
his ain't a fairytale. I'm gonna find someone someday who might actually treat me well. This is a big world, that was a small town, there in my rearview mirror disappearing now. And it's too late for you and your white horse to catch me now."

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Jogando fora o que me impede de seguir em frente

Eu não paro de pensar em ti, mas agora é diferente. Não tenho mais a esperança que me movia antes, não alimento pensamentos de que isso tudo é só um pesadelo; eu aceitei que você foi embora por livre e espontânea vontade. Aceitei a ferida que está em meu peito e hoje, ao invés de atrapalhar o processo de cicatrização, deixo o tempo passar e o vento soprar. Respirar não dói mais como antes.
Gostaria de declarar aos quatro cantos do mundo que o esqueci, porém não passaria de uma bela mentira. Ainda sinto sua falta, mas cansei de voar atrás de um gavião que pode muito bem me magoar mais do que me acolher. Sou apenas uma andorinha...
Não sei se me observas de longe, mas se estiveres aí saiba que eu tenho coragem pra voar a lugares desconhecidos sem ti. Saiba que eu estou construindo, todos os dias, uma barreira que irá em breve lhe impedir de chegar perto. Saiba que tenho quem me queira bem e que se um dia você me amou, há quem possa me amar tanto quanto (ou até mais). Saiba que meu peito estará sempre cheio de amor e que eu sempre tentarei ser uma pessoa melhor pra mim e pros outros. Se você só soube desistir, eu insistirei sempre em lutar. E se antes lutava por ti, por nós, hoje luto pela minha felicidade e não a vejo apenas em você ou junto a você.
Logo descobrirei que não é o amor que dói, mas as pessoas que nos machucam. Logo você será uma mera cicatriz que pode ser coberta por cirurgia ou poderá sumir com o tempo. Ou talvez não suma, mas seja imperceptível por não carregar mais o valor que hoje traz. E eu sinto muito, muito mesmo, que nossa história tenha terminado assim, mas sei que há histórias mais bonitas para serem vividas e gravadas na minha vida. Você foi o meu príncipe, mas há outros reinos por aí, os quais eu farei questão de conhecer.
Que você não me cause mais dor e que sejamos ambos felizes, é tudo o que desejo pra nós. Be happy, be strong. Eu não serei mais apaixonada por você ou pela ideia de estar apaixonada por você. Eu sou e serei pra sempre livre, já que você me deixou voar. E pode ser que nunca mais eu queira pousar. E o azar é todo seu.

domingo, 4 de outubro de 2015

Substituição

Hoje estive com alguém que não era você. Procurei nele o calor da sua pele, o seu cheiro, seu afeto, o toque de suas mãos. Em vão. Tudo que tive foi um punhado de você na cabeça, outro punhado no coração e nenhum punhado daquele que estava ali se esforçando por mim, pra mim.
Estátua, é o que fui. Fria, sem expressão. Tudo aquilo que não o era com você. Fechar os olhos me fazia voltar a quando era você ali, no mesmo lugar, mas quando os abria tudo o que vi foi alguém que aleatoriamente estava ali.
Triste é amar quem não quer ser amado, quem não ama mais, quem nunca amou. Correspondência, tínhamos tanta e tudo virou pó. Como lidar com a falta de você, do seu carinho, do seu sorriso, do seu você? Como aprender a simplesmente esquecer e não me importar mais? Só faça parar de doer...
Sentir sua falta, tendo você ido embora voluntariamente, é um martírio pois nada posso fazer em relação aos seus sentimentos e às suas escolhas... Tudo o que me resta são noites vazias de música, bebida e bocas.
Enquanto estou ali, vivo, sorrio. Depois passa. Passa como tudo nessa vida. Passa e sobra os restos de mim, de você, de nós... Como num fim de festa.
Lembro-me bem de ti dizendo que eu postava pouco sobre você. A dor é a alma da criatividade, e você nunca causou dor alguma em mim. Com exceção de agora.
Apesar das tentativas em vão de torná-lo passado, de substituí-lo em minhas memórias e em meu coração, continuarei tentando frustradamente todos os dias, em todas as festas, encontrar alguém que seja metade do que você foi e é. Continuarei com a sensação de fim de festa no coração ao final das festas.

domingo, 27 de setembro de 2015

Carrossel

Minha cabeça tava girando, mas de um jeito bom. Não lembro da última vez que tinha me sentido numa vibe tão boa... As luzes brilhavam insanamente, incessantemente... Era vermelho pra todos os lados. A música me preenchia de modo a não restar espaços vazios, nem aonde costumava ficar o coração que você tomou de mim.
Sorrisos bonitos se aproximavam, olhares famintos passeavam pela superfície do meu corpo e eu sentia cada um deles. Talvez essa seja a melhor sensação do mundo, se sentir bem consigo mesmo, se sentir desejada - e isso sei que fui. Agora faz sentido aquela história de que sempre tem pessoas ainda mais incríveis que ainda não conhecemos só esperando a gente aparecer.
E apareci. Vivi, sorri, dancei, cantei, beijei... Vivi. A "eu" de 15 anos reviveu dentro de mim e agradeceu enormemente pela iniciativa. Agradeceu pela companhia, pela música, pela festa, pela bebida e pela diversão. Uma diversão que há muito queria conhecer e que desisti da mesma ao encontrar você, ao preferir estar ao seu lado no aconchego de um relacionamento. O você que me abandonou no meio do nada, pronto pra viver sem que eu estivesse também pronta.
Agora, minha alma quer se viciar nessa loucura de viver e de ser feliz. Meu coração prefere continuar em destroços pra não ter que se regenerar mais vezes. São Paulo promete me satisfazer como você antes o fazia. Descobri que todas as letras do alfabeto estão à minha disposição.
Por alguns anos esqueci os motivos pelos quais eu queria tanto volta a morar nessa cidade, e hoje todos vieram a minha mente. Engraçado como a vida gira feito carrossel e mostra como somos, como mudamos e como voltamos a ser; a vida não passa de ciclos repetitivos que nos fazem sofrer e depois sorrir.
Sentimentos que me preenchem agora são confusão, ansiedade, certezas e uma vontade inimaginável de viver. Dá sim pra viver sem você.
Voa longe e alto, enquanto eu voo também. Mas talvez, quando você voltar a pousar no mesmo galho, eu não queira pousar também. Talvez eu queira voar para sempre ou pousar do outro lado do mundo. Talvez apenas do outro lado do estado. E talvez, não queira mais você.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Monólogo.


Eu não consigo ser aberta, de boa e menos neurótica. Desculpa. Desculpa não ter te avisado antes sobre mim, eu também não sabia que seria assim. Eu não me reconheço também. É, eu sei, sei que sou contraditória e confusa. Eu sei, estou pedindo desculpa. Tá, eu sei que não é o suficiente.
Eu não te falei enquanto conversávamos pois não queria que você desanimasse ou desistisse de mim, de nós. Eu queria ser exatamente o que você sempre quis, da mesma forma que você é exatamente como eu sempre quis: os mesmos olhos, a mesma cor de cabelo, a exata altura, o mesmo romantismo e a mesma quantidade de safadeza, afinal isso não é um conto de fadas. Isso, é a nossa história.
Não, eu não era assim com os outros. Eu só sou assim com você. É, eu sei, é um azar mesmo. Na verdade eu acho que é o preço de amar. Claro que eu te amo! Eu sinto muito... É, eu sei, sei que fui eu quem propus. Mas eu ainda quero, só não quero dessa forma, com essas pessoas...
Infelizmente não. Isso não tem nada a ver, meu amor por você é real. Se eu não o amasse, não haveria motivo pra ciúme. Ciúme é medo de perdê-lo. [...] Você sempre soube disso... Claro que sabia! Eu sou insegura sim, com a minha aparência, com a minha inteligência, com tudo. Você costumava achar fofo. Você costumava ser o mundo, o meu mundo.
Eu que fui ingênua então? Ótimo.

Eu estou desistindo de você, de nós. A distância faz deste um ato necessário. Você mesmo disse que a distância estava fazendo muito mal a nós dois. Você tinha razão. E pensar que eu cresci sobre você, como uma orquídea cresce no topo de uma árvore para captar luz. Assim eu consegui mais luz do que antes em toda a minha vida. Cresci e desabrochei sobre você. Fui quem nunca imaginei ser, fiz coisas que pensei serem impossíveis pra mim. Junto a você, virei flor. Agora, prestes a virar fruto, tudo fica incerto. Como se eu virasse uma parasita. Antes que o vire de verdade, vou embora. Eu teria seguido você para qualquer lugar. Tudo o que sobrou foi um resquício de um amor de conto-de-fadas.

E não viveram felizes para sempre.

domingo, 26 de julho de 2015

Como eu estudei pra passar em medicina



Pra quem ainda não viu, eu gravei outro vídeo sobre minha aprovação em medicina. Desta vez é sobre como eu estudei para passar. Se você é vestibulando, de medicina ou não, assista esse vídeo e compartilhe com seus amigos! Espero poder ajudar bastante gente compartilhando o que já vivi. Comente aqui em baixo se esse vídeo foi útil pra você e no que eu ainda posso melhorar!

Beijinhos e até a próxima.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Meus Musicais Favoritos

Bom, vocês sabem que eu AMO musicais, né? Então, fiz um vídeo pra mostrar os musicais que eu mais adoro nesse mundo! E essa também é a postagem nº 100 do blog!! Vamos comemorar, galeraaaa!!!


TAG: Livros Opostos

Essa tag é pra mostrar os livros opostos da minha estante. Acho que deu pra entender, né??


TAG: Isso ou Aquilo?

Mais um vídeo bem legal pra vocês! Hehehe...


TAG: Doenças Literárias

Oi, oi gente! Hoje terá mais uma leva de vídeos que gravei! Esse é o primeiro. Divirtam-se!


terça-feira, 21 de julho de 2015

TAG: 10 Perguntas Literárias

Aeeeee! Tem mais um vídeo de hoje!!! YAAAAAAY! Divirtam-se!!



 

Tag: 7 Livros Que Me Fizeram Chorar

Oi, oi gente! Hoje estou postando meu primeiro vídeo! Yaaay *----* é o primeiro de muitos que virão! E não poderia iniciar de outro jeito além de listar os 7 livros que me fizeram chorar!





Até o próximo vídeo!!!

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Dia do Amigo!

Oi, oi gente!!! Estamos de volta! Hoje é um dia especial porque é o dia do amigo! E, por conta desse dia, tenho uma historinha pra vocês: a história de como eu e a Sarah nos conhecemos!

Essa é recente, mas acho que é a mais bonita que temos!

Bom, eu e a Sarah nos conhecemos no colégio que estudamos juntas láááááá em 2006! Dá pra acreditar que já faz tanto tempo??? Eu era a novata no colégio novo, não conhecia ninguém e, com a minha sorte, a professora de inglês pediu pra gente fazer uma tarefa em dupla. Entrei em pânico. Não sabia nem o nome de ninguém, nem o da professora eu sabia! Mas, quando já estava ao ponto de pular pela janela, uma "guria" muito simpática, sentada na minha frente, virou pra trás e disse: "se você quiser, a gente faz juntas." e sorriu pra mim. "Eu me chamo Sarah e você?", "Letícia." - e pronto, foi ali que nossa amizade se iniciou. Meio tímida, mas que era (e 
ainda é) muito forte! Ela me apresentou pra todo mundo da sala e 
até trabalhos a gente fez juntas!


Só que aconteceu uma coisa que, em vez de nos separar, nos uniu ainda mais: ela se mudou pra CaipiraTown (só eu tenho o direito de chamar a cidade dela assim!). E com a mudança, nós começamos a nos falar pelo extinto MSN, e acho que foi aí que a amizade cresceu. Toda vez que ela vinha pra SP, a gente se encontrava. Fomos assistir Lua Nova juntas e fomos também na estreia de Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2.





Ultimamente, a gente tem feito coisas bem culturais: fomos assistir dois musicais maravilhosos (O Rei Leão e Cazuza - Pro Dia Nascer Feliz), fomos na exposição do Leonardo da Vinci, que teve no centro da FIESP, fomos na peça da Kéfera e da Bruna (não é tão cultural, mas foi legal do mesmo jeito!), ficamos quase duas horas esperando as duas saírem e dessa última vez que a gente saiu, fomos assistir a peça Vanya e Sonia e Masha e Spike, que eu quase morri vendo a Bianca Tadini e o Bruno Narchi e a Sarah teve que praticamente me ajudar a andar!




Sem contar os micos que a gente paga: como, por exemplo, tirar foto com flash de outro celular porque o teatro é escuro, sair do cinema com o delineador escorrendo porque eu chorei com HP, se sentir a turista andando na Av, Paulista...







Ela foi uma das poucas amigas que vieram me ver quando operei. Veio mais de uma vez por sinal! Me animava quando eu tava triste por razões de estar presa a uma cama. E, claro, quando me senti melhor, ela veio aqui e a gente gravou um vídeo pro blog! Está aqui prontinho pra editar e postar, ele vem ainda, viu gente? 







Só tenho a dizer que a Sarah já não é mais minha amiga, ela é minha irmã!!!

Feliz dia do amigo para todos!!!!

quinta-feira, 25 de junho de 2015

A sinceridade dói

Eu nunca fui e nunca serei do grupinho dos populares da escola. Sabe aquela turma super descolada, que vive nas festas, tá sempre nas fotos e conhece todos os lugares legais? Pois é, eu nunca serei parte dela. Não por falta de capacidade ou competência (talvez um pouco por isso), mas por escolha. Essa mesma turma tende a ser também aquela que cola nas provas, estuda pouco ou deixa pra estudar tudo de última hora, discute com professores, enche a cara e faz tudo o que eu prefiro deixar de fazer.
Eu também não sou da turma dos nerds, mas fui um dia. Hoje, devido à complexidade dos assuntos estudados, me falta (agora sim) competência para pertencer a este grupo. Outro grupo a que pertencia era o dos tímidos. Mas eu mudei, tudo mudou.
Se ontem eu deixava as pessoas me controlarem e dizerem o que eu deveria ou não ver, pensar e fazer, hoje já não o faço. Isso os incomoda. A pessoa que não concorda, a pessoa que vai contra o "normal", cujo conceito não cabe no contexto para que não seja um post de um milhão de palavras, incomoda.
Todo mundo diz ser sincero e querer sinceridade. Mas falta coragem, e o medo se junta à falsidade, e pronto, foi formada a sociedade. As pessoas não conseguem ouvir ou aceitar a verdade, independente do assunto. A verdade faz mal, incomoda, machuca o ego e o orgulho das pessoas. A verdade, mesmo sendo verdade, não importa quando todos aceitam aquilo que mais agrada aos ouvidos e ao peito.
A sinceridade dói. A falta de maturidade dói, assim como o excesso dela. As coisas mais puras doem: o amor, a espera, a saudade, e a verdade.
Não sei quais outros adjetivos podem ser atribuídos à verdade, no entanto sei o quanto ela incomoda e entendo perfeitamente que, às vezes, é necessário engolir a verdade e arrotar a mentira, prevenindo desgastes emocionais desnecessários e promovendo a paz interna de cada um de nós.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Outro capítulo sobre frustrações

Frustrada, de novo.  A primeira vez que escrevi sobre isso, a ocasião e os motivos eram completamente diferentes. Hoje, tudo está em seu lugar, ou quase tudo, e mesmo assim nada parece estar completamente certo.
Sinto muita falta de escrever sobre meus anseios, medos, dúvidas e insegurança. Porém, recentemente levei uma bronca da vida dizendo que eu não devo reclamar e devo sempre sorrir. Pelo menos foi como eu a entendi. E, infelizmente, eu não consigo levar adiante esse plano maluco de fazer tudo certo, estar contente com o que a vida oferece e simplesmente sobreviver.
Não é que eu goste de reclamar da vida, mas eu sempre acabo fazendo isso. É inconsciente. Tudo porque eu não aceito as injustiças que ela traz e que as pessoas engolem... "É assim mesmo", eles dizem. Eu não aceito. Como pode ser assim mesmo? Uns ter tudo e outros, nada; uns serem felizes e outros, não?! Não dá, não desce.
Esse meu senso de justiça interior só me traz problemas e inimizades. Como parar algo que é intrínseco? Alguém me responde, por favor.
E como sempre, as pessoas são as culpadas da vida ser assim. Mais tecnicamente, os adultos. A negatividade, o ceticismo, o egoísmo, a falsidade, a falta de justiça impregnam o ar. Todos eles querem justiça, mas nenhum quer fazê-la, afinal, eles nem sabem o que significa isso. Dar ao menor o maior degrau para que veja ao mesmo nível do maior ainda é errado para eles. Pelo menos para a maioria. Eu, como sempre, estou na minoria.
Espero que uma noite, mal dormida, resolva esses meus problemas, porém estou quase certa de que nenhum deles será solucionado. Por enquanto, terei que engolir.

terça-feira, 9 de junho de 2015

Uma pequena lista 2

Passar no vestibular: feito;

Morar em São Paulo: feito;

Morar em São Paulo com o namorado: sem previsão de realização;

Morar em Nova York: sem previsão de realização;

Morar na mesma cidade que o namorado: previsto para breve, porém sem data definida;

Terminar a faculdade: previsto para 2020;

Parar de reclamar da vida: previsto para agora, sem certeza de que será realizado;

Fazer carteira de motorista: sem data definida;

Comprar um carro: previsto para 2021;

Colocar silicone: suponha-se que esteja previsto para 2025;

Fazer cirurgia no olho e parar de usar óculos: previsto para quando houver dinheiro;

Morar sozinha: em andamento;

Deixar de ter 80 anos aos 19: probabilidade 0 de que aconteça, logo, sem previsão de realização;

Estudar: previsto para daqui até o infinito e além;

Casar: previsto para 2022 (?);

Ter filhos: previsto para 2028;

Ser feliz: em andamento.

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Vá à um musical! (Parte 2)

Oi, oi gente! Depois de um tempinho sumida, finalmente estou de volta! E trouxe pra vocês mais alguns musicais que assisti na versão BR e amei demais!



HAIR! LET THE SUNSHINE IN! DEIXA O SOL ENTRAR! Incrível como os anos 70 e a era hippie é retratada nesse musical que me arrepia desde o início, com a música "Aquário", até o final com essa daí de cima, a famosa "Let The Sunshine In". GIMME A HEAD WITH HAIR!!!




Hairspray tem um lugar MUITO especial no meu coração. Eu sou a Tracy na vida! Gordinha, que dança bem e quer ser famosa hahaha! Conheci Hairspray por meio do filme, e logo depois, veio o musical para o Brasil com versão do maravilhoso Miguel Falabella! YOU CAN'T STOP THE BEAT!




Chicago não é pra criança, mas sempre curti essa cena tanto no filme quanto no musical (mesmo tendo a Daniele Winits fazendo o papel da diva Catherine Zeta-Jones). Tão simples, sem elementos, mas você imagina a cena toda, não?




Bom, quando esse estreou em SP, eu tinha só 7 anos, ou seja, não vi ao vivo, mas vi uma filmagem e queria TANTO, MAS TANTO que tivesse um revival só pra eu morrer desitratada nessa cena. Os Miseráveis <3




Me perdoem por não achar uma cena decente desse musical incrível, mas é que a filmagem que nós, fãs, temos é horrível e essa foi a única cena boa que achei. Enfim, aqui temos Kiara Sasso e Saulo Vasconcelos (um amor esses dois!) fazendo Christine e Fantasma num musical que emociona demais. Quando estreou em SP, eu tinha 9 anos, Então, vocês já sabem né?




Quem as notas sabe sim, canta tudo até o fim! A Noviça Rebelde é um marco no cinema e trouxeram o musical para o BR com Kiara Sasso como Maria (um dos melhores papeis dela!). Não sei o que dizer, só sentir.




Ah, Romeu e Julie... West Side Story! Magnífica adaptação de Romeu e Julieta, eternizado no BR pela linda Bianca Tadini e o maravilhoso Fred Silveira!




Vai me dizer que depois de ouvir essa música você não sente vontade de subir no palco e gritar junto com os atores? Não? Só eu? Então, ok. Despertar pra sempre!




E esse foi o último que assisti (inédito, quero dizer). Mudança de Hábito é pra te levar pro Céu! Eu ouvi um amém?

E é isso galera. Até a próxima!

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Minhas Séries Favoritas

Oi, oi gente! Voltamos ao normal hahaha. Hoje trouxe pra vocês algumas das minhas séries favoritas e fica como a indicação de hoje. Colocarei uma cena de cada série (seja abertura ou alguma cena que eu adoro).




1 - Glee
Muita gente tem um GRANDE preconceito com Glee, mas eu amo essa série de paixão! Sem dúvidas é a minha preferida! Infelizmente, chegou ao fim esse ano em sua sexta temporada.




2 - Game of Thrones

Seguindo Glee de pertinho, vem Game of Thrones. A série que me deixa agoniada o ano inteiro pela próxima temporada e, quando finalmente estreia, tem UMA SEMANA de espera para cada episódio. Isso é injusto!




3 - FRIENDS
Acho que FRIENDS nem devia estar nessa lista. Afinal, FRIENDS é minha vida! Dou risada das mesmas piadas e choro MUITO com o último episódio! E, por ser a fã retardada que eu sou, só pela abertura sei qual é a temporada.



4 - Supernatural
Sim, eu assisto Supernatural e sim, depois não consigo dormir. Sim, sou dessas pessoas que sonham com o que viram no dia, e se eu assisti supernatural, sonharei com aquele episódio que mais me deu medo. Mas eu adoro!




5 - American Horror Story
Agora, se quer me deixar sem dormir por uns três dias, é só colcoar a abertura de AHS. Assisto os episódios mais assustadores, mas não assisto a abertura nem que me obriguem (principalmente a de Coven e Freak Show).




6 - How I Met Your Mother
Sabe aquele dia que você está pra baixo? Nada te faz rir? É nesses dias que eu faço uma 

maratona de HIMYM! E me mato de tanto rir que esqueço os problemas!





7 - Smallville
Ah... a primeira série que te fez virar madrugadas e madrugadas você nunca esquece. Saudades de Smallville!




8 - Breaking Bad
Uma das melhores séries que soube acabar no momento certo e quando menos esperávamos. Breaking Bad ainda tem uma grande influência e muita gente querendo saber do que se trata a estória de Walter White, o professor que fabrica metafetamina.




9 - The Big Bang Theory
A série que todo nerd TEM que assistir! HAHAHA sem mais!

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Uma Pequena Lista

Terminar a faculdade: previsto para 2017.

Viajar para Orlando: previsão para 2015/2016.

Viajar para Inglaterra: sem previsão no momento.

Assistir um ou mais musicais na Broadway: previsto para 2015/2016.

Perder o medo de andar de avião: sem previsão por um bom tempo.

Ir num show da Demi Lovato: previsão para a próxima tour.

Fazer um cosplay na Comic-Con: agendado para dezembro/2015.

Cantar bem: previsto para a próxima encarnação.

Ser uma tradutora famosa: previsto para daqui uns 10 anos.

Ser rica: isso está fora de questão.

Ser dubladora: previsto para depois do curso de dublagem, depois do curso de tradução.

Ser magra, não ter estrias e ser sexy: querida, nem nos seus sonhos.

Ter seios pequenos: realizado!

Namorar, casar e ter filhos: calma, tem tempo para isso.

Ser um Avenger: só nos seus sonhos.

Estudar em Hogwarts: o máximo que você vai conseguir é uma passagem no trem da CPTM.

Ser mãe de dragões: só se seus filhos forem muito feios, mas você irá amá-los do mesmo jeito e eles não serão!

Ostentar um carro veloz: só quando ninguém ficar olhando.

Ser feliz: em processamento eterno!

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Uma reflexão a partir da embriologia

Estudando como a vida começa, a partir de duas células praticamente invisíveis, percebo que nada somos. Me pergunto agora porquê nos achamos no direito de mandar e desmandar nos outros, ou porque tratamos as pessoas diferentes se todos nós viemos à vida da mesma forma: por duas células praticamente invisíveis. As pessoas, no geral, tendem a agir e a falar sem saber, logo pode-se garantir que a ignorância, na verdade, é o que destrói o mundo e a humanidade.
A falta de conhecimento induz a tragédia, a violência e a falta de respeito desde que o mundo é mundo; e mesmo assim esse fato é ou ignorado ou finge-se que não se sabe dele. O mundo hoje, apesar da ciência tão avançada, dos métodos de tratamento de doenças tão superiores aos de antigamente e do relativo aumento da expectativa de vida por conta disso, continua persistindo nos mesmos erros do passado. Há violência, há fome, há discriminação, quando todos na verdade vieram dos mesmos dois tipos de células praticamente invisíveis.
A cada dia me apaixono mais pela natureza e pela ciência. Percebo que tudo têm uma explicação, mas às vezes nós temos preguiça de procurá-la. O homem, ser muito complexo, não pode ser considerado o melhor dos seres. Ele é apenas mais um ser do planeta, porém a sensação de ser apenas mais um provoca determinado sentimento ruim, o qual é inexistente nos outros animais e por isso somos os piores dos seres.
Jogo então, por enquanto, a culpa de todos os atos falhos da humanidade nos sentimentos, esses malditos que brincam conosco como se fôssemos marionetes. Agimos por impulso por causa do amor, da paixão, da raiva, do ódio e calculamos os nossos passos (ainda que de mau jeito) devido à saudade, ao medo, à insegurança. O fator complexante da equação das nossas vidas e da nossa história é o sentimento, aquilo que não conseguimos direito controlar, e que, na verdade, nos controla.
A vida é fácil e simples, nós que a complicamos. Para sobreviver basta respirar, comer, dormir; então por quê insistimos em viver? Éramos células, transformamo-nos em organismo e passamos a vida buscando mais um sentimento pra nossa coleção: a felicidade. E é essa busca insaciável que tanto complica o ato de viver.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Contagem



Depois de 19 primaveras completas (ou outonos), percebo que o mundo gira mais rapidamente do que eu imaginava. Eu fui e voltei de cidades, encontrei e desencontrei pessoas, sorri e chorei por motivos justos, e também injustos. Aos 19, continuo percebendo a diversidade de coisas e pessoas ao meu redor com uma enorme surpresa.
Dezenove não é um número que causa muito impacto ou que seja o limiar de algo como os quinze pra menina ou os 18 pra todo mundo, mas espera-se que com 19 você esteja pronto para aceitar a fase adulta, que esteja no caminho de uma profissão ou carreira, seja estudando ou trabalhando; espera-se que você cresça da noite para o dia. Se até pouco tempo você estava no colegial, compartilhando séries e filmes, se reunindo pra festa do pijama na casa de alguma amiga e marcando salgado na cantina pros pais pagarem depois, hoje você deve ser independente, aprender a se virar. Literalmente, aos 19, fui jogada pra fora do ninho, e, diga-se de passagem, de uma montanha muito alta.
Muita coisa eu já vivi. Conheci lugares incríveis, pessoas inesquecíveis e um amor pra vida toda. Aprendi com todos esses anos a amar, a cuidar e a preservar, a se esforçar pelos outros mais do que por mim mesma. Com esses 19 anos passados aprendi valores muito importantes, sendo os principais os da confiança e da lealdade. 
Eu ainda estou caindo, tentando bater as asas aos poucos, porém sentindo muita falta do antigo lar. Há muitos caminhos a seguir, o céu inteiro pra ser específica, e eu não sei qual ou quais trilhar. Há muito a aprender. Não sei nem se eu tenho como obrigação decidir agora, mas sei que preciso ou chegar ao chão ou voar o mais rápido possível.
Ao mesmo tempo que desejo ver tudo, desejo também descansar. Nunca obtive tanta coisa nova em tão pouco tempo, e como qualquer outra pessoa, isso me assusta, mas assusta de um jeito bom. O melhor de todos os presentes recebi da vida, a oportunidade de virar o jogo, de mudar tudo, de abrir a mente e de sorrir. Basta agora viver.

"Only know you've been high when you're feeling low, only hate the road when you're missin' home, only know you love her when you've let her go, and you let her go."

domingo, 29 de março de 2015

Atualização

Não preciso nem avisar que estou correndo contra o tempo, né moçada?! As semanas estão passando voando, a primeira prova já veio e a nota (talvez) foi por água a baixo (HAHAHA, me ferrei). Mesmo assim estou aqui para dar mais algumas impressões sobre o curso e a faculdade, e também falar um pouco sobre o que eu quero fazer aqui no blog.
Então, o primeiro módulo do curso foi EXTREMAMENTE repetitivo, e talvez essa tenha sido a maior reclamação entre os alunos da minha turma. Tudo bem que a faculdade se preocupa muito com a nossa formação humanística e interdisciplinar, mas tudo tem limite né?! Eu achei a prova muito específica pra uma matéria muito subjetiva e sem objetivos explícitos para estudar. Minha maior dificuldade foi ter certeza do que era importante e do que era relevante, senti muito como se fosse pra eu adivinhar o que deveria ser decorado e o que não era necessário. Talvez essa dificuldade existiu por uma opinião pessoal de que essa matéria era interessante para o médico, mas não essencial, então pode ter havido um bloqueio da minha parte.
Mas como diz a música, "amanhã há de ser um novo dia" e com certeza haverá num novo módulo. O segundo módulo é o de Concepção, e promete ter muita biologia (amém).
Em relação à faculdade, têm sido tudo muito bom e organizado, não está deixando a desejar por enquanto. Mais alguns alunos conseguiram o FIES, mas ainda tem muita reclamação por conta das exigências de documentos na faculdade, incluindo perda de prazo por conta disso.
Já em relação ao blog, tenho vídeo gravado com a Leka pra ser editado e postado, o que tentarei fazer no feriado; tenho muitos rascunhos de posts e vídeos pra fazer pra vocês. Sobre os vídeos, quero fazer um sobre os aplicativos que usava pra estudar no cursinho e um contando melhor como foi o primeiro módulo (e mês) na faculdade e como estão programadas as coisas para acontecerem.
Se alguém tiver sugestão de post, comenta aí, por favor! Beijos e até mais.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Primeira semana de aula - integração

E aí gente, tudo bem? Espero que sim, porque comigo tá tudo maravilhoso! Não fiz nenhum post antes porque estava esperando dar tudo certo com o meu FIES.
Enfim, hoje vou contar pra vocês como é a faculdade e como foi a primeira semana.
A (finalmente) minha faculdade fica na Rua Augusta, bem no Centro de São Paulo. É um prédio no qual funcionava um antigo hotel, bem alto e que foi todo reformado para que fosse o novo campus da faculdade. A rua é bem suja e apagada durante o dia, os estabelecimentos são bem caros, mas a noite ela se transforma totalmente e as pessoas que passam por ali compõem um grupo riquíssimo de cultura e diversidade.
Sobre o método de ensino, é o PBL de modo puro. A grade curricular é composta por casos motivadores, tutorias, buscas ativas, aulas práticas e preleções. Apesar de eu ter me assustado um pouco, tô gostando bastante. É bem exaustivo, mas obriga o aluno a correr atrás.
Na primeira semana, nossas atividades se resumiram em conhecer a faculdade, os professores e o método de ensino. Tivemos demonstrações de cada parte do módulo e do eixo, os quais mais pra frente explicarei melhor. Foi bem legal para maior amizade com a turma toda.
Infelizmente o único problema enfrentado pelos alunos da faculdade o momento é o FIES. Só 3 pessoas do total de 50 (e poucos) conseguiram terminar a inscrição do financiamento. Estão todos ansiosos e no aguardo.
Estou um pouco sem tempo pra postar, mas espero que vocês entendam. Em breve conto melhor mais coisas da rotina da faculdade. Beijos, até depois.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Passei!

Oi, gente! A novidade já não é mais tão novidade assim, mas tudo bem. Estou aqui para declarar oficialmente que: EU PASSEI EM MEDICINA!
Já comemorei, fiz trote de pedágio na minha cidade e gravei um vídeo de agradecimento. Apesar da apreensão sobre se vai dar certo o FIES e sobre mudar de cidade, e todas as outras coisas que a aprovação trouxe, eu estou muito feliz e ficarei ainda mais quando começarem as aulas.
Pra quem estiver interessado, eu passei na Faculdade das Américas, uma faculdade nova que abriu em São Paulo. Na verdade, a faculdade em si não é nova, só o curso. A taxa do vestibular foi de R$ 200,00 até determinada data e depois de R$ 300,00 após esta. O MEC disponibilizou 100 vagas anuais, mas como minha turma só tem 50 pessoas, imagino que haverá vestibular de inverno, fica a dica pra quem quiser prestar. O valor da mensalidade é de R$ 6200,00 e possui FIES.
Outra coisa que vale lembrar é que, uma vez por semana, as aulas práticas são ministradas em São Bernardo do Campo, onde a faculdade é conveniada com alguns hospitais. Há boatos que o campus de São Bernardo é que receberia o curso 100%, ou seja, todas as aulas seriam ministradas lá, porém o MEC não autorizou, pois o prédio não estaria pronto a tempo e acabou sendo no campus Paulista. Talvez o curso acabe sendo transferido para lá.
Se vocês quiserem assistir ao vídeo, colocarei aqui em baixo. É o vídeo de estreia do meu canal, e eu pretendo postar outros sobre o curso, sobre mudança e outras coisas mais...



É isso gente, espero que vocês tenham sentido a minha alegria de longe mesmo. Se quiserem saber algo da faculdade ou do curso, deixem nos comentários. Beijos e até logo.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Livros Para Destruir Seu Lado Emocional

Oi, oi gente! Tudo bom com vocês? É, eu sei que andei meio sumida mas estou de volta! Com um post MEGA ESPECIAL! Quando acabei de ler meu último livro (que vai estar nessa lista), pensei em colocar todos os livros que me deixaram devastada, com vontade de deitar na cama e nunca mais levantar. Chorei, arranquei os cabelos e tem alguns que joguei longe quando terminei haha. Não estão na ordem que eu mais chorei, mas chorei com todos.


Extraordinário foi um livro super gostoso de ler e rápido. Li em uma tarde e me emocionei demais. Auggie é um garoto que é deformado e mesmo assim, vive sua vida normalmente, dando ensinamentos sobre a vida. Impossível não se emocionar!


"Nós aceitamos o amor que achamos merecer." - A estória de Charlie me conquistou desde a sinopse. Li tão rápido que me arrependi da rapidez. Devia ter lido mais devagar! Porém, ele nos conquista desde a primeira frase e nos prende até "Nós somos infinitos."


Ó meu Deus! Esse foi um que joguei longe quando li "Eu aceito.'' Me recusava a acreditar que tinha acabado ali, daquele jeito! Derramei tantas lágrimas nesse livro que tem algumas páginas enrugadas! Mr. Green, never do this again with me! 


Ok, sei que esse é infantil, mas poxa! Chorei muito nessa final! E tenho certeza que você, que viu o filme, também! 


Gente, juro pra vocês, eu não estava entendo nada desse livro quando o comecei a ler e abandonei. Depois tentei de novo. E valeu a pena. Só pra vocês terem uma ideia, esse livro se passa na Segunda Guerra Mundial.


Falando em Segunda Guerra, existe esse outro destruidor. Livro pequeno, fácil de ler e que ESMAGA E DESTROI seus sentimentos. Nem preciso falar mais nada, né?


Me julguem, mas eu chorei MUITO em Harry Potter e as Relíquias da Morte. Afinal, era o último de uma série que eu amo desde que aprendi a ler e foram 10 anos acompanhando! Impossível não chorar naquele epílogo.


Esse foi o último livro que li, como expliquei lá em cima. Gente, perugunto para vocês: posso chorar lágrimas inglesas? Preciso ver nos cinemas, com a nossa khaleesi Emilia Clarke fazendo a Louisa e o lindo maravilhoso gostoso Finnick Sam Claffin fazendo o Will, porque eu só imaginava esses dois nos papéis.


E vocês? Com quais livros tiveram vontade de arrancar os cabelos de tanto chorar? Me contem nos comentários!
Beijinhos

Favoritos: Cantores

Antes de eu comunicar boas novas à vocês, quero fazer um post diferente. Hoje, estou me sentindo feliz por dentro e por fora. Há muito tempo não me sentia assim: livre, aliviada e feliz. Sorrisos fáceis têm escapado dos meus lábios e eu agradeço ao destino por isso.
Pra mim, nossa história não está escrita desde que nascemos, ela vai se escrevendo conforme crescemos e fazemos escolhas. Ontem, a vida me presenteou com calma e eu estou extremamente grata por isso, por ter feito as escolhas certas.
Pensando nessas coisas de vida, de destino e de fé, lembrei-me de que, quando era criança, eu jurava que todos nós vivíamos filmes particulares. Ou seja, que cada vida sendo vivida era um filme ou um livro, e a minha não poderia ser diferente. Assim, eu queria que minha vida fosse, no final, uma história muito boa e que eu tivesse orgulho de ter vivido. Como toda boa história tem uma boa trilha sonora, aqui está o motivo do post.
Já fui fã de muitos artistas, já tive muitos estilos e sempre fui metida à "roqueirinha". No entanto, amadurecendo, fui me aceitando mais e me descobrindo mais. Hoje, minha cantora preferida, de longe, é:


Taylor Swift!

Não sou nenhuma ladie like e não me visto como ela, mas suas músicas descrevem a minha vida! É incrível como, desde que a conheci em 2009, todas as músicas dela se encaixam de alguma forma na minha história. Cada sentimento, cada relacionamento, definitivamente tem como trilha sonora suas músicas.
Outro dia eu li em um estudo que as músicas que mais te marcarão para o resto da vida são aquelas ouvidas entre os 14 e 22 anos, ou seja, durante a adolescência. E é exatamente o que acontece comigo e com as músicas da Taylor. Meu álbum preferido é, sem dúvidas, Speak Now, apesar de eu gostar muito de Fearless também.
As lições que a Taylor me proporciona quando a ouço são, dentre muitas, principalmente, não se importar com os outros ('cause de haters gonna hate) e superar os maus sentimentos; aliás, os maus relacionamentos, né?! E também a amar cabelo enrolado! Diva 4ever.
Ouçam algumas das minhas músicas favoritas dela e virem fãs também <3 b="">


"Your first kiss makes your head spin 'round... But in your life you'll do things greater than dating the boy on the football team. But I didn't know it at fifteen"


"When your birthday passed and I didn't call. You gave me all your love and all I gave you was goodbye."


"But I miss screaming and fighting and kissing in the rain, and it's 2 am and i'm cursing your name."


"I see sparks fly whenever you smile, get me with those green eyes, baby, as the light go down, give me something that'll hunt me when you're not around."


"You took a polaroid of us then discovered: the rest of the world was black and white, but we were in screaming color."

Espero que tenham gostado do post. Logo estarei de volta com as novidades tão especiais... Beijinhos e até logo.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Incertezas


Começo esse post me justificando: quando nossa vida se encontra num estado de meio-fio, a ansiedade e as dúvidas de um futuro incerto pairam sobre nós e não nos deixam fazer mais nada. Nos últimos dias tenho acompanhado assiduamente a lista de espera de duas faculdades, e em ambas ainda não fui convocada para matrícula, e talvez não o seja. Porém, a esperança persistiu em ficar mesmo quando parece impossível.
Assim, me encontro em estado de espera, a qual parece ser eterna. Os dias passam em uma grande lentidão e eu não sei se devo estudar tudo novamente ou se devo esperar por novas matérias.
Ser vestibulando, principalmente de medicina, é uma tarefa árdua. Você se esforça ao máximo o ano todo e, muitas vezes, no final do ano, ainda não é o suficiente. E então você chora, se sente despedaçado e fracassado, a sensação de derrota fica iminente. Você vai ter que começar tudo de novo, do zero, ou então vai ter que desistir.
Muitos desistem, sabe? Mas eu não. Apesar da ideia já ter passado pela minha cabeça, eu não posso me deixar abater. Não posso e não devo. Tudo que exige muito esforço e sacrifício, vale a pena.
Assim que a minha vida se decidir eu volto a postar e tudo o mais. Estava pensando em criar um canal no YouTube voltado para vestibulares, dicas de estudo e coisas relacionadas a esse universo, mas ainda estou em dúvida. Dúvidas demais pra uma única cabeça.
Espero que compreendam e que não deixem de visitar o blog. Beijos!

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

"Sonhar Mais Um Sonho Impossível..."

Oi, oi gente! Tudo bom com vocês? Hoje vim contar sobre uma experiência incrível que eu tive ontem! Ontem, pela segunda vez, fui assistir "O Homem de La Mancha" no Teatro Popular do Sesi com toda a minha família! Haha foi muito bom, afinal consegui lugares na primeira fileira e recebi vários olhares dos atores!! Dá pra acreditar que eu fiquei pertinho desse jeito? Nem eu acreditei! Depois que acabou, todos subimos para o lobby do teatro para esperar os atores saírem (porque dessa vez, eu fiz todo mundo esperar!). Eis que surge uma montanha saindo dos elevadores e minha mãe falou "Leka, aquele ali não é o Saulo Vasconcelos?" e eu fiquei tipo não, não é, mas fiquei na dúvida e fui ver. Só o reconheci quando ele virou de lado. Aí eu saí gritando por ele! Ele riu e me abraçou! Só que ele é MUITO alto e, mesmo ficando na ponta dos pés, ele teve que se abaixar bastante haha! Me deu autógrafo e tirou foto comigo! Eu até falei que era fã dele desde que ele fez a Fera, em "A Bela e A Fera", ele riu e perguntou se eu já era nascida naquela época! Acreditam? 



Aí depois que o Saulo foi embora, estou olhando para o elevador e quem sai de lá? Sim, o Cleto Baccic, que faz o Don Quixote! Dá pra acreditar na minha sorte? Aí eu fui falar com ele e ele pasou tudo que estava fazendo e me atendeu! Tirou foto comigo, me deu autógrafo e riu do meu cabelo azul! Lembrou que eu estava na primeira fileira e agradeceu por ter ido. Me perguntou se eu chorei e só olhei pra ele. "É... você está com cara de quem chorou!" e eu o abracei mais uma vez!

                                     

Enquanto o resto da minha família falava com ele, olhei para o elevador de novo e quem saiu? Sim! Ela! Minha diva! Kiara Sasso! Corri até ela e a abracei tão forte! Ela me retribuiu e eu não queria sair dos braços dela. Ela me perguntou se eu tinha gostado da peça e das outras que ela fez (ela sabe que faço parte de seu fã-clube). Falei que adorei e tal. Mas o meu cérebro deu um branco geral e eu não sabia o que falar e eis que me sai de minha boca "Kiara, você é muito cheirosa!". Quase bati minha cabeça na parede de tanta vergonha! Ela riu e me abraçou de novo! Pedi um autógrafo e uma foto e ela me atendeu! Só que a querida minha mãe que tirou a foto e ela saiu meio tremida! Maaaaas eu a perdoo, afinal a gente estava na frente da Kiara! É muita emoção mesmo! 




Olha, se eu não tivesse essas fotos e os autógrafos no meu folder, juraria que tinha sonhado! Afinal, já sonhei com isso tantas e tantas vezes que é meio difícil acreditar que foi verdade. Mas foi!


Então, nunca desistam de seus sonhos, afinal você nunca pode saber quando e como irão se realizar! 
Até a próxima!