quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Doe o que tiver para doar


Já há alguns dias eu estava bem abatida e mal por conta dos vestibulares e seus resultados ruins, mas hoje eu resolvi que minha rotina seria diferente. Eu já estava cansada de passar as madrugadas chorando e acordar com a cara inchada. Então eu decidi que começaria hoje mesmo a salvar vidas, a ajudar as pessoas que precisam, mesmo não estando matriculada em nenhuma faculdade de medicina.
Aí vocês devem estar se perguntando como eu fiz isso, e a resposta é simples: doei sangue! Desde que eu fiz 18 ainda não tinha tido chance de fazer essa boa ação e achei que agora, enquanto eu estou triste e sem fazer nada em casa, seria a hora perfeita pra fazê-lo e pra me alegrar um pouco. Como já estava lá, me cadastrei também como doadora de medula óssea.


Pra quem não sabe, o banco de sangue do país é muito escasso e nessa época do ano ele esvazia com uma velocidade ainda maior por conta dos inúmeros acidentes rodoviários e doenças mais presentes no verão, como a dengue hemorrágica. Aproveitei que meu sangue é do tipo O com fator de rh positivo e decidi doar, pois sei que mais de uma pessoa pode ser salva por causa disso.
O mais legal disso tudo foi que, quando eu fui contar pra Leka, ela me contou que também estava indo doar! E não, a gente não combinou! Hahaha, eu achei demais.
É importante que possamos sempre doar o que tivermos disponível, seja sangue, medula, roupas, sapatos e outras tantas coisas. Fazer o bem para o próximo dá uma sensação de leveza e de dever cumprido que eu precisava nesse momento. Modéstia à parte, fiquei muito orgulhosa de mim mesma.
Pra quem tiver curiosidade, deixarei uma tabela com os tipos sanguíneos e quem pode receber de quem. Se vocês doarem algo, contem pra nós aqui nos comentários! Beijos e até logo. 

Nenhum comentário: