terça-feira, 19 de julho de 2016

Nobody deserves to suffer for somebody's love

Eu sei que você pensou em mim o dia inteiro, eu sei que você sabe o que 18 significa. Sei que pensou em mim no sábado também, porque 16 significava muito mais. Mas adivinha a novidade? De você, eu só lembrei duas vezes no dia, e isso é significativamente pouco pra alguém que esteve presente na minha vida tão intensamente por alguns anos e que causou um estrago tão grande quando decidiu partir.
Nunca pensei que alcançaria a paz de espírito que alcancei nesses últimos meses; nunca pensei que, de repente, me veria feliz, sem precisar de ninguém além de mim mesma pra isso. E eu nunca pensei que notícias suas seriam tão insignificantes e tão rapidamente esquecidas como aquelas que vieram disfarçadas.
Nada mais martela na minha cabecinha oca, nem os porquês do nosso fim. É aquela velha história do "tinha que ser". Tinha mesmo que ser. Tínhamos que ser e depois deixar de ser.
Me sinto na obrigação de te agradecer por ter ido embora, pelas dores que me causou e que me fizeram crescer tanto, por ter trocado um amor sincero e simples por sentimentos tão superficiais e banais e ter me feito perceber que as pessoas realmente não valorizam as coisas raras quando as têm na mão. Obrigada por ter me feito livre para descobrir que eu posso voar pra muito mais longe e que posso conhecer horizontes muito mais bonitos do que aqueles que você pôde me oferecer. Obrigada por ter feito meu mundo, que era baseado em você, desmoronar, pois assim pude baseá-lo em algo muito melhor e mais firme: eu mesma.
Sua partida me obrigou a olhar no espelho e reconhecer o que eu gostava e o que eu não gostava em mim e na minha vida, fisicamente, materialmente e psicologicamente; me fez parar um pouco pra cuidar de mim, pra refazer meus objetivos e redescobrir meus sonhos. Me fez perceber que eu não só queria ser uma pessoa melhor como queria uma pessoa melhor ao meu lado. Você ter ido embora doeu e muito, mas aprendi que eu não sou metade, eu sou inteira.
Eu não aceito mais falta de humildade, não acho mais bonitinho ser esnobe e nem acho graça no orgulho alheio. Gosto de coisas simples, sentimentos simples, e gosto de quem se arrepende de algo e não tem medo de admiti-lo. Gosto de arrumar os erros que cometo, gosto de ser humana, gosto de simplificar. Não aceito menos do que mereço, e eu mereço alguém inteiro pra ser inteiro comigo. Eu não aceito que achem que têm o direito de me guardar na caixinha pra pegar de volta quando a vida ficar sem graça. Eu quero viver e quero alguém que viva comigo.
Descobri nesses 10 meses que "fique longe o suficiente pro outro sentir sua falta, mas não longe o suficiente pra ele te esquecer" é uma das frases clichês mais reais que eu já ouvi. Eu me acostumei com a sua indiferença, depois com o seu prazer em machucar o meu coração, e por fim eu me acostumei com a sua ausência, e aí, bem, você já não era mais do que uma lembrança. Isso era o que você queria, não é mesmo?! Me lembro bem de quando me disse que "foi lindo o que a gente viveu, mas é só uma lembrança" e sabe, naquela época eu não te disse, mas não se diz isso pra alguém cheio de amor no coração. Não se quebra um coração perfeito.
Agora eu me descobri feliz, flutuando numa paz que eu não tinha com você. Uma vez você me disse que eu seria mais feliz sem você, e eu jurava que não... Eu estava errada, como em muitas outras coisas enquanto estive com você. Realmente tudo que vivemos foi lindo e mais que necessário para o nosso crescimento e amadurecimento, mas agora é só mais uma lembrança, como as que enfeitavam textos desse mesmo blog os quais você me fez apagar (quantas coisas que eu não devia ter feito, eu fiz por você?!). Mas relaxa, ninguém vai me fazer te apagar das minhas memórias, mas talvez elas sejam deixadas na caixinha de "não importa mais" pra dar espaço para as memórias maravilhosas que eu estou construindo agora.
Talvez eu já tenha escrito mais do que esse dia merece, mas é um alívio tão grande não sofrer que eu precisei transbordar, pois como você sabe eu sou muito intensa, e isso não mudou, nem nunca vai mudar, só mudou os sentimentos que eu transbordo. E o que eu espero pra nós dois em todos os outros meses que se seguirão a esse é que possamos transbordar felicidade e paz de onde estivermos. Realmente, we are never ever getting back together.

Nenhum comentário: